Residentes de Medicina apresentam relatório com perfil das comunidades

Os dados são referentes às características das regiões onde atuam e foram entregues à coordenação do Programa de Residência Médica

Os médicos residentes em Medicina de Família e Comunidade apresentaram nesta quarta-feira (8), no auditório do Parque Natural Municipal, o relatório completo dos dados que apontam as características das regiões em que atuam. As informações foram entregues para a coordenação do Programa de Residência Médica. Ao todo, são 18 novos médicos, sendo 12 profissionais do primeiro ano (R1) e 6 do segundo ano (R2). O encontro teve a participação de preceptores e servidores das Estratégias de Saúde da Família (ESF) e coordenadores do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF).

O médico de família e comunidade, Felipe Damasceno, atua na Estratégia de Saúde da Família (ESF) Esperança/Nossa Senhora das Graças e é um dos preceptores. Ele ressalta a importância desse momento. “São nestas oportunidades que podemos trocar experiências, informações porque quando o profissional conhece seu território, poderemos traçar um diagnóstico regional cada vez mais preciso e assim elaborar estratégias de prevenção”, disse.

Felipe destacou ainda o que o elo entre médicos e os profissionais da atenção primária é uma ferramenta muito importante que tem um poder de transformação local com reflexos numa realidade macro. “Tendo conhecimento do território e dos nossos usuários poderemos atuar de maneira preventiva como, por exemplo, controlando diabetes, obesidade e hipertensão, para assim evitar o agravamento de doenças crônicas”, finalizou.

De acordo com o médico Adhemar Dias Figueiredo, coordenador do Programa de Residência Médica, este momento de introdução dos residentes é de extrema relevância, pois a residência médica de medicina de família e comunidade é a base da atenção primária na rede de assistência onde são resolvidos cerca de 90% dos problemas em saúde do município. “É desta forma que podemos contribuir para uma melhoria significativa no cenário da saúde na nossa cidade. Podemos diminuir gastos públicos com redução das demandas do Hospital Municipal com atendimentos e exames mais complexos. Acreditamos que com profissionais capacitados e capazes de usar as ferramentas mais adequadas, poderemos planejar ações de toda equipe em saúde e chegar aos resultados esperados”, concluiu ele.

Divulgação da Noticia – Secretaria de Comunicação e Mobilização Social GV – Foto Reprodução da Internet  Yuri Barreto