Repercussão no Exterior – Morre filho de acusado de desviar dinheiro para tratar doença

João Miguel, de 2 anos, lutava contra a atrofia muscular espinhal (AME) e muitos brasileiros nos Estados Unidos ajudaram-na campanha foi feita para levantar recursos

Na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, morreu no dia 17, o garoto João Miguel, de dois anos de idade. Ele residia em Conselheiro Lafaiete e enfrentava uma Atrofia Muscular Espinhal (AME), doença degenerativa grave. Milhares de pessoas abraçaram uma campanha para tentar ajudar o garoto, pois o remédio é caro e precisava ser enviado dos Estados Unidos para o Brasil.

A última publicação nas redes sociais feita no perfil oficial da campanha foi um vídeo em que a mãe agradeceu os parabéns que o garoto recebeu pelo aniversário de 2 anos, no último dia 7 de outubro.

No dia 30 de agosto, ele foi submetido à primeira dose do remédio, a qual foi comprada pelo governo, após uma liminar da Justiça conseguida pela advogada da família meses antes da denúncia contra o pai. Cada dose tem um custo de aproximadamente US$85 mil.

Para levantar o dinheiro, a campanha comoveu os moradores de Conselheiro Lafaiete, bem como todo o Brasil e brasileiros que vivem no exterior. Em quase um ano, foi arrecadado mais de US$250 mil. Mas depois da liminar, no dia 14 de junho deste ano, a campanha foi suspensa e o dinheiro foi bloqueado.

Mas todos pensavam que estavam doando para salvar a vida do pequenino e no dia 22 de julho, uma terrível notícia abalou a todos. Mateus Henrique Leroy Alves, pai do garoto, foi preso em um hotel em Salvador após a mãe de João Miguel denunciá-lo.

De acordo com as investigações, a polícia o prendeu após receber informações de que ele teria viajado a passeio com parte do valor arrecadado na campanha dedicada a custear o tratamento do pequeno João Miguel.

Posteriormente foram divulgadas gravações telefônicas gravadas feitas pela polícia onde o pai também estaria envolvido em um esquema de agenciamento de garotas de programa.

O Ministério Público denunciou o pai por estelionato e abandono material contra o filho. De acordo com a denúncia, Mateus gastou cerca de R$ 600 mil de um total de R$ 1 milhão arrecadado em campanhas, com corrida e shows, e ainda nas redes sociais. A defesa dele nega que ele tenha cometido os crimes.

Divulgação da Noticia – Site Brazilintimes.com –  Fonte: Redação Brazilian Times – Foto reprodução Imagem Internet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

RECENTES