Vale do Aço e Valadares, polo instalação tornozeleira eletrônica operando

Política de expansão da monitoração eletrônica, como alternativa ao encarceramento, chega à região de Governador Valadares

O quinto polo de instalação de tornozeleiras eletrônicas entrou em operação. A unidade, que passa a funcionar na região do Vale do Aço, contempla o processo de expansão do Governo de Minas criado para essa medida penal. O processo de instalação das primeiras tornozeleiras eletrônicas vai até esta sexta-feira (15/3).

As primeiras dez tornozeleiras eletrônicas estão sendo instaladas em detentos que cumprem pena no Presídio de Açucena, localizado há 100 quilômetros de Governador Valadares.

A saída de um preso de uma unidade prisional e o seu acautelamento, realizado por meio de monitoração, representa economia de recursos aplicados em alimentação, serviços de saúde, pagamento de servidores do Estado, ensino, escoltas, entre outros.

A expansão da monitoração eletrônica depende de alvará expedido pelo Poder Judiciário. A expectativa é que, com o crescente apoio das comarcas locais, o número de monitorados aumente significativamente nos próximos meses.

Eficácia

Um servidor treinado pela equipe da Unidade de Gestão de Monitoração Eletrônica, responsável pela monitoração de todos que usam o método eletrônico, foi até Açucena para efetuar as instalações. Ele é agente do Presídio de Governador Valadares, unidade ponto de referência para a instalação dos equipamentos na região.

A juíza Larissa Teixeira da Costa foi a primeira magistrada a solicitar o uso do equipamento e a emitir o alvará. A unidade prisional também contou com o apoio do promotor de justiça Igor Peixoto Marques.

O quinto polo de instalação de tornozeleiras eletrônicas entrou em operação. A unidade, que passa a funcionar na região do Vale do Aço, contempla o processo de expansão do Governo de Minas criado para essa medida penal. O processo de instalação das primeiras tornozeleiras eletrônicas vai até esta sexta-feira (15/3).

As primeiras dez tornozeleiras eletrônicas estão sendo instaladas em detentos que cumprem pena no Presídio de Açucena, localizado há 100 quilômetros de Governador Valadares.

A saída de um preso de uma unidade prisional e o seu acautelamento, realizado por meio de monitoração, representa economia de recursos aplicados em alimentação, serviços de saúde, pagamento de servidores do Estado, ensino, escoltas, entre outros.

A expansão da monitoração eletrônica depende de alvará expedido pelo Poder Judiciário. A expectativa é que, com o crescente apoio das comarcas locais, o número de monitorados aumente significativamente nos próximos meses.

Eficácia

Um servidor treinado pela equipe da Unidade de Gestão de Monitoração Eletrônica, responsável pela monitoração de todos que usam o método eletrônico, foi até Açucena para efetuar as instalações. Ele é agente do Presídio de Governador Valadares, unidade ponto de referência para a instalação dos equipamentos na região.

A juíza Larissa Teixeira da Costa foi a primeira magistrada a solicitar o uso do equipamento e a emitir o alvará. A unidade prisional também contou com o apoio do promotor de justiça Igor Peixoto Marques.

Site Agencia Minas – Divulgação/Seap