Prefeitura abre espaço para discussão sobre assédios moral e sexual

Os servidores receberam uma cartilha inédita produzida pelo município com orientações sobre o tema

Em um mundo cada vez mais competitivo, a degradação do ambiente de trabalho pode estimular práticas consideradas inaceitáveis. É o caso dos assédios moral e sexual, que podem ocorrer tanto no setor privado quanto no público. O assunto foi tema de uma palestra ministrada pelo Controlador-Geral do município, Luciano Souto, na manhã desta quarta-feira (30).

O objetivo foi conscientizar e orientar os servidores sobre como identificar e diferenciar assédio moral e sexual e quais providências devem ser tomadas quando estiverem diante de uma situação como essa. Durante o evento, realizado no auditório da Prefeitura, foi feito o lançamento da cartilha “Assédio Moral e Sexual: denuncie!”.

De acordo com Luciano Souto, a ideia foi construir um texto objetivo que pudesse apontar em quais principais circunstâncias ocorrem essas práticas a fim de conscientizar os servidores e evitar que elas aconteçam no âmbito do serviço público. “Quero ressaltar que essa é mais uma iniciativa louvável da administração municipal, que busca, cada vez mais, a valorização do servidor público. A temática é dotada de muita relevância, devendo ser debatida e enfrentada com rigor”, disse.

Resultados positivos 

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV), Dirley Henriques, ressaltou o ineditismo da iniciativa. “Conversamos com o prefeito e fizemos uma negociação coletiva para orientar os servidores e até mesmo as chefias, dando uma demonstração de que a Prefeitura estava em um combate constante. Ele mesmo tem atendido demandas relativas ao servidor, e isso avançou bastante diminuindo sensivelmente os números de assédio moral entre chefias e subordinados e entre colegas”, observou.

Para o prefeito André Merlo, minimizar os casos é um desafio muito grande, mas o município tem tomado providências. “Quero dizer que nós estaremos sempre atentos e queremos ser parceiros do servidor para combater o assédio. Se tiver algum caso, pode encaminhar para o nosso gabinete. Não se pode explorar ninguém moralmente, nem sexualmente”, pontuou.

A cartilha produzida pelo Município é fruto de um trabalho conjunto entre as secretarias municipais de Administração, Governo, Controladoria, Procuradoria-Geral do Município, por meio de um acordo coletivo com o Sinsem-GV. O material será distribuído a todos os servidores municipais, incluindo os que trabalham nas autarquias.

Distribuição da Noticia – Fonte Secretaria de Comunicação e Mobilização Social – Foto reprodução Imagem Internet