Prefeito sanciona lei que proíbe canudos plásticos em Valadares

O material traz impactos negativos ao meio ambiente e à fauna

Que os canudos de plástico são práticos e de fácil descarte, isso não se discute. Basta entrar em qualquer lanchonete ou bar que sempre tem alguém utilizando para consumir refrigerante ou suco. Mas os impactos negativos que os canudos trazem ao meio ambiente e o risco à fauna tornou sua proibição um caminho irreversível. Por essa razão, a Câmara Municipal aprovou e o Prefeito André Merlo sancionou a Lei nº 7.100/19 que proíbe a utilização na cidade.

O secretário municipal de Governo, Marcos Sampaio, destaca que a Lei será regulamentada pelo Executivo no prazo de 180 dias (6 meses), tempo que os comerciantes terão para se adaptarem às novas regras. “Os canudos são amplamente utilizados pelas pessoas, mas a natureza paga um preço muito alto por essa comodidade, uma vez que o plástico é um material nocivo ao meio ambiente. Com a lei, os bares, hotéis e restaurantes, terão esse prazo para esgotarem os estoques e buscarem outras alternativas mais sustentáveis”, disse.

A nova lei dispõe que os canudos plásticos poderão ser substituídos por canudos em papel reciclável, material comestível ou biodegradável, embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados feitos do mesmo material. O descumprimento da Lei pode acarretar: notificação, multa e suspensão de alvará.

Sobre os impactos dos canudos

Estudos científicos apontam, de forma assustadora, que se o consumo mundial de plástico continuar no mesmo ritmo de hoje (250 milhões de toneladas por ano), em 2050 os oceanos terão mais plástico do que peixes. Grandes empresas de fast-food, como McDonald’s e Starbucks, Governo no Rio de Janeiro e de países como Escócia e Reino Unido estão banindo os canudos plásticos.

Divulgação da Noticia – Fonte Secretaria de Comunicação e Mobilização Social GV- Foto Reproduçao Imagem Internet