Polícia Civil recebe homenagem na ALMG por atuação em Brumadinho

“A Polícia Civil segue avante”. A frase que inicia o Hino da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) foi cantada em alto e bom som no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nessa segunda-feira (1º), pela voz de mais de cem policiais civis que acompanharam a Reunião Especial para homenagear servidores das polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, do Ministério Público Estadual, da Defensoria Pública do Estado e bombeiros civis, que atuaram no resgate e no apoio às vítimas do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (RMBH).

Estiveram presentes na homenagem o Chefe da PCMG, Delegado-Geral Wagner Pinto de Souza; a Chefe de Gabinete da PCMG, Delegada-Geral Irene Angélica Franco e Silva Leroy; a Diretora da Academia de Polícia Civil, Delegada-Geral Cinara Maria Moreira Liberal; o Superintendente de Informações e Inteligência Policial, Delegado-geral Ivan José Lopes; e o Delegado Assistente da Chefia da PCMG, Delegado-Geral Arlen Bahia da Silva.

Além do Deputado Heli Grilo (PSL), foram coautores do requerimento para a realização da Reunião os deputados Duarte Bechir (PSD), Carlos Henrique (PRB), Gustavo Mitre (PSC), Gustavo Santana (PL), Raul Belém (PSC) e Sargento Rodrigues (PTB), além das deputadas Andréia de Jesus (Psol) e Beatriz Cerqueira (PT).

Durante o evento, o Chefe da Polícia Civil aproveitou seu discurso de agradecimento para comunicar que a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag) emitiu nota técnica com parecer legal para a nomeação de 425 investigadores remanescentes do concurso de 2014, do ponto de vista da responsabilidade fiscal. “Recebemos a nota técnica, por parte do Governo, demonstrando a legalidade para a nomeação de novos servidores e, se Deus permitir, todos ingressarão brevemente na Academia de Polícia Civil”, afirmou.

A tragédia

Após o rompimento da Barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, no início do ano, a Polícia Civil de Minas Gerais passou a atuar imediatamente na identificação dos corpos das vítimas (através do IML e do Instituto de Identificação) e ajudou nos processos judiciais decorrentes da tragédia, fornecendo carteiras de identidade para as vítimas que perderam seus pertences no local. A Instituição foi ainda ao local ouvir a população atingida e investigar golpes que seriam praticados contra os moradores, já vulneráveis, pela decorrência da tragédia.

Segundo informações da ALMG, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais empregou aproximadamente 1.850 homens nas operações realizadas em Brumadinho. Segundo o texto, a ação contou com 70 máquinas pesadas, 31 aeronaves e 22 equipes de cães de busca.

Na mesma nota, a Polícia Militar afirmou terem sido empregados cerca de 6.670 militares, com a colaboração de oito aeronaves e três drones para o apoio à tropa empenhada na operação.

Divulgação da Noticia – Fonte “A Polícia Civil segue avante”. A frase que inicia o Hino da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) foi cantada em alto e bom som no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nessa segunda-feira (1º), pela voz de mais de cem policiais civis que acompanharam a Reunião Especial para homenagear servidores das polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, do Ministério Público Estadual, da Defensoria Pública do Estado e bombeiros civis, que atuaram no resgate e no apoio às vítimas do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (RMBH).

Estiveram presentes na homenagem o Chefe da PCMG, Delegado-Geral Wagner Pinto de Souza; a Chefe de Gabinete da PCMG, Delegada-Geral Irene Angélica Franco e Silva Leroy; a Diretora da Academia de Polícia Civil, Delegada-Geral Cinara Maria Moreira Liberal; o Superintendente de Informações e Inteligência Policial, Delegado-geral Ivan José Lopes; e o Delegado Assistente da Chefia da PCMG, Delegado-Geral Arlen Bahia da Silva.

Além do Deputado Heli Grilo (PSL), foram coautores do requerimento para a realização da Reunião os deputados Duarte Bechir (PSD), Carlos Henrique (PRB), Gustavo Mitre (PSC), Gustavo Santana (PL), Raul Belém (PSC) e Sargento Rodrigues (PTB), além das deputadas Andréia de Jesus (Psol) e Beatriz Cerqueira (PT).

Durante o evento, o Chefe da Polícia Civil aproveitou seu discurso de agradecimento para comunicar que a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag) emitiu nota técnica com parecer legal para a nomeação de 425 investigadores remanescentes do concurso de 2014, do ponto de vista da responsabilidade fiscal. “Recebemos a nota técnica, por parte do Governo, demonstrando a legalidade para a nomeação de novos servidores e, se Deus permitir, todos ingressarão brevemente na Academia de Polícia Civil”, afirmou.

A tragédia

Após o rompimento da Barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, no início do ano, a Polícia Civil de Minas Gerais passou a atuar imediatamente na identificação dos corpos das vítimas (através do IML e do Instituto de Identificação) e ajudou nos processos judiciais decorrentes da tragédia, fornecendo carteiras de identidade para as vítimas que perderam seus pertences no local. A Instituição foi ainda ao local ouvir a população atingida e investigar golpes que seriam praticados contra os moradores, já vulneráveis, pela decorrência da tragédia.

Segundo informações da ALMG, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais empregou aproximadamente 1.850 homens nas operações realizadas em Brumadinho. Segundo o texto, a ação contou com 70 máquinas pesadas, 31 aeronaves e 22 equipes de cães de busca.

Na mesma nota, a Polícia Militar afirmou terem sido empregados cerca de 6.670 militares, com a colaboração de oito aeronaves e três drones para o apoio à tropa empenhada na operação.

Divulgação da Noticia – Fonte ASCOM-PCMG – Foto Divulgação ASCOM-PCMG