PCMG prende candidato a deputado estadual por estupro de vulneráveis

Resultado de uma investigação de estupro de vulnerável, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu Gilson Pereira de Souza, 49 anos, suspeito de vitimar cinco adolescentes do sexo masculino, entre 12 e 17 anos. O investigado foi candidato a deputado estadual nas eleições de 2018 e, segundo apurado, era conhecido pela população de Caeté, Região Metropolitana de Belo Horizonte, por promover ações sociais envolvendo crianças carentes para facilitar a aproximação com as vítimas.

O suspeito foi detido no dia 28 de março, em virtude de mandado de prisão preventiva. De acordo com o Delegado Guilherme Catão, foram três meses de investigações. ¿O suspeito é acusado de aliciar menores através de vantagens econômicas e ameaças de morte, com uso de arma de fogo, para manter relações sexuais com os mesmos¿, explica. Segundo ele, o investigado nega os fatos e se diz perseguido por uma das vítimas para prejudicá-lo.

O inquérito policial foi concluído e encaminhado à Justiça com indiciamento de Gilson Pereira por estupro de vulnerável e representação pela prisão preventiva dele. O suspeito já foi indiciado, em 2015, na cidade de Sabará, que fica a 35 quilômetros de Caeté, também pelo mesmo crime.

No ano de 2018, o suspeito foi preso na cidade de Caeté por porte ilegal de arma de fogo. Na ocasião, pagou uma fiança no valor de 2 mil reais e respondeu em liberdade. Segundo o Delegado Guilherme Catão, essa ocorrência foi uma pequena parte, porém muito importante, de uma situação muito maior e complexa.

O Delegado Regional, Bruno Affonso, destacou a complexidade do inquérito. ¿Uma investigação de estupro de vulnerável requer uma apuraçãominuciosa. Nesse caso, a análise de um conjunto de indícios possibilitou a montagem de um quebra-cabeça, que fundamentou o indiciamento do suspeito¿, afirma.

Como pontua Catão, a prisão do suspeito foi comemorada pela comunidade local. O Delegado orienta que caso outras pessoas tenham sido vítimas, devem procurar a Delegacia de Polícia Civil ou o Ministério Público para o registro da ocorrência. Ele destaca a importância de os pais e responsáveis terem diálogo aberto com crianças e adolescentes a fim de identificar sinais de abuso e denunciar os casos.

O suspeito foi encaminhado ao Sistema Prisional e encontra-se à disposição da Justiça.

Divulgação da Noticia – ASCOM PCMG – Foto Divulgação/PCMG