Oito hábitos brasileiros que não pegam bem em outras culturas

Tomar um sorvete na rua, fazer sinal de positivo com o polegar para cima¿ Alguns gestos e comportamentos soam tão naturais para nós, que nem imaginamos que algumas culturas possam considerá-los mal-educados. Ao fazer uma viagem internacional, é sempre bom ficar atento a comportamentos que possam ser vistos como rudes ou ofensivos.

17636543

Mascar chiclete em público – Cingapura

Mascar chiclete em público não é só considerado falta de educação por lá: é proibido por lei. A multa por cuspir a goma de mascar na rua e sujar as vias públicas pode passar de R$ 1 mil.

Fazer “joinha” – Países no Oriente Médio

Em muitos países do Oriente Médio, fazer sinal de positivo com o polegar para cima equivale a mostrar o dedo médio para alguém. Se você quiser mostrar aprovação, talvez seja melhor simplesmente sorrir.

Dar gorjeta – Japão e Coreia do Sul

Ao visitar um bar ou restaurante no Japão ou na Coreia do Sul, o simples ato de deixar uma gorjeta para o garçom pode gerar confusão. Na maioria dos casos, eles irão educadamente recusar, pois sentem orgulho em fazer seu trabalho bem feito e não acham que precisam de um incentivo extra além do salário que já recebem. Se você forçar, pode ser que seja até mesmo perseguido pelo garçom na rua para que ele possa lhe entregar o troco.

Aperto de mão firme – Filipinas

Cumprimentar alguém com um firme aperto de mão é mais do que normal no Brasil. Mas, nas Filipinas, um aperto de mão forte é considerado agressivo e até desrespeitoso em certas ocasiões.

Comer onde não sirvam comida – Ruanda

Em Ruanda, é considerado rude comer em qualquer local que não seja um restaurante, bar ou hotel. Fazer um lanchinho no ônibus? Refrescar-se com um sorvete na rua? Pode esquecer.

Atrasar-se – Alemanha

Marcar de encontrar com os amigos às 19h e chegar às 20h não é nada raro no Brasil. Mas em países como a Alemanha, deixar os outros esperando passa a impressão de que você acha o seu tempo mais importante do que o dos outros.

Encher a comida de tempero – Itália, Espanha e Japão

Em culturas gastronômicas como Itália, Espanha e Japão, pedir pelo molho de tomate, pimenta ou shoyu para colocar na refeição pode causar estranhamento. Antes de solicitar seu tempero favorito em um restaurante mais requintado, veja se ele já está na mesa: caso contrário, talvez seja um bom momento para ampliar o seu paladar.

“Limpar o prato” – Tailândia e China

Muita gente se lembra de não poder deixar a mesa de jantar até terminar toda a sua comida. Mas, na China e na Tailândia, se você for convidado à casa de alguém e não deixar sobrar nada no prato, pode causar a impressão de que o anfitrião não preparou uma quantidade suficiente.