O abraço do Papa Francisco a um sacerdote vicentino de 96 anos

O Papa Francisco encontrou um religioso de 96 anos de idade, 70 de sacerdote, presente na Missa desta terça-feira (05/11) na Casa Santa Marta, no Vaticano

“Aos 96 anos, tenho a alegria de continuar sendo padre plenamente, celebro a missa, ouço as confissões, faço as catequeses: não há graça maior.”

Assim o religioso missionário vicentino Pe. Filippo Grillo se apresentou ao Papa Francisco que o acolheu com um abraço na manhã desta terça-feira (05/11), após a santa missa celebrada na capela da Casa Santa Marta, no Vaticano.

Como se fosse o primeiro dia

“Sou sacerdote há setenta anos, mas é como se fosse o primeiro dia”, disse ao Pontífice, com a vitalidade de sua Nápoles, a cidade no sul da Itália onde sempre desempenhou seu ministério sacerdotal, tanto em sua congregação – da qual foi superior provincial –, quanto, até 5 anos atrás, como vigário episcopal para a vida consagrada da arquidiocese napolitana.

Às vezes, juiz no Tribunal eclesiástico

Ainda hoje Pe. Grillo desempenha ocasionalmente o serviço de juiz no Tribunal eclesiástico regional da Campania. O religioso encontrava-se acompanhado, para esta concelebração com o Papa, por Pe. Vincenzo Lazzarini, sacerdote há 60 anos, missionário na Eritreia; e Pe. Salvatore Farì, sucessor de Pe. Grillo no encargo de vigário episcopal para a vida consagrada em Nápoles.