Núcleo de Empreendedorismo e Inovação apoia startups e impulsiona projetos geradores de renda e empregos em Minas

Governador Romeu Zema defende apoio do Estado para o desenvolvimento de iniciativas de jovens empreendedore

Entre ter uma ideia e transformá-la em uma empresa geradora de renda e empregos, pode-se levar anos. E, ao enfrentar os desafios, os projetos podem acabar não vingando. A história de empreendedorismo do engenheiro Gustavo Veiga, 30, poderia ter sido essa se, no meio do caminho, não tivesse participado do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação (NEI) e impulsionado o Zuli, um aplicativo que mapeia e negocia vagas de garagem em Belo Horizonte e que, neste mês, já expandiu o serviço para São Paulo.

Justamente para impulsionar a criação, principalmente de startups, atrair investimentos e gerar emprego e renda, o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, criou o NEI.

O projeto, que está em expansão, busca diminuir a taxa de mortalidade dessas empresas a partir do desenvolvimento de estratégias de vendas e marketing, mentorias e atendimentos multidisciplinares especializados.

No último dia 11, o governador Romeu Zema recebeu representantes das principais startups do San Pedro Valley – organização mineira que agrega mais de 400 empresas de diversos setores e usa tecnologias para levar soluções e fomentar a economia.

Na ocasião, o governador ressaltou o interesse da sua gestão em apoiar jovens empreendedores com ideias inovadoras e que possam desenvolver seus talentos, contribuindo para um Estado mais eficiente e com novas fontes geradoras de receitas e divisas para Minas.

Segundo o último Censo Mineiro de Startups e demais Empresas de Base Tecnológica, elaborado em 2017, Minas Gerais conta com cerca de 400 empresas de base tecnológica, sendo 350 startups. Esse número corresponde apenas às microempresas que responderam ao questionário, por isso, estima-se que esse mercado seja ainda maior. Do total, 24% das empresas consolidadas declararam que irão faturar até R$ 5 milhões, o que, sem dúvida, movimenta a economia estadual.

De acordo com a Associação Brasileira de Startups, no estudo “Radiografia das startups brasileiras”, Minas Gerais é o terceiro estado no ranking do índice de densidade desse tipo de empresa no país.

Apoio

Atualmente, 30 empreendimentos, entre startups e negócios tradicionais, participam do núcleo e, segundo o coordenador do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação, Artur Jeber, o número de interessados cresce semanalmente. “A cada semana chegam, em média, mais cinco ideias para atendimento”, ressalta.

Com a ampliação do aumento de interessados, estão abertas até 10 de março seis vagas de mentor bolsista para atender pelo NEI (Inscrições neste link).

Jeber explica que o foco são os processos de vendas e entrada em mercados, tanto para startups quanto para empreendedores tradicionais, tirando dúvidas, orientando sobre como agir e impulsionar os negócios, que muitas vezes acabam não prosseguindo devido às dificuldades iniciais.

Na ocasião, o governador ressaltou o interesse da sua gestão em apoiar jovens empreendedores com ideias inovadoras e que possam desenvolver seus talentos, contribuindo para um Estado mais eficiente e com novas fontes geradoras de receitas e divisas para Minas.

Segundo o último Censo Mineiro de Startups e demais Empresas de Base Tecnológica, elaborado em 2017, Minas Gerais conta com cerca de 400 empresas de base tecnológica, sendo 350 startups. Esse número corresponde apenas às microempresas que responderam ao questionário, por isso, estima-se que esse mercado seja ainda maior. Do total, 24% das empresas consolidadas declararam que irão faturar até R$ 5 milhões, o que, sem dúvida, movimenta a economia estadual.

De acordo com a Associação Brasileira de Startups, no estudo “Radiografia das startups brasileiras”, Minas Gerais é o terceiro estado no ranking do índice de densidade desse tipo de empresa no país.

Apoio

Atualmente, 30 empreendimentos, entre startups e negócios tradicionais, participam do núcleo e, segundo o coordenador do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação, Artur Jeber, o número de interessados cresce semanalmente. “A cada semana chegam, em média, mais cinco ideias para atendimento”, ressalta.

Com a ampliação do aumento de interessados, estão abertas até 10 de março seis vagas de mentor bolsista para atender pelo NEI (Inscrições neste link).

Jeber explica que o foco são os processos de vendas e entrada em mercados, tanto para startups quanto para empreendedores tradicionais, tirando dúvidas, orientando sobre como agir e impulsionar os negócios, que muitas vezes acabam não prosseguindo devido às dificuldades iniciais.

Divulgação – Agencias Minas – Empreendedor Jovem  – Foto Guilherme Modesto