Mineradora Vale traz explicações a investidores sobre gerenciamento de barragens

Segundo pedido direto dos investidores, exatamente nesta noite de sexta-feira (7) por sua vez a Mineradora Vale, publicou noto, informando um conjunto de explicações referente ao seu gerenciamento em relação as barragens de rejeitos. Por sua vez a empresa informou que enviou via protocolar “dizendo no sentido que diante” da realidade esta passando “por um momento critico” e diante desta realizada a mesma esta comprometida com as comunidades por sua vez afetadas pelo rompimento das barragens de Mariana e Brumadinho, cujos arquivos já estão nas mãos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), segundo afirma a informação a imprensa.

Eduardo Brtolomeo, hoje diretor-presidente da Mineradora Vale, por sua vez enviou carta endereçada ao conselho de Pensões da Igreja da Inglaterra, como também ao Conselho de Ética do Fundo de Pensão publico APFunds da Suécia que  por sua vez a “A Vale está apoiando com total transparência a investigação das causas da tragédia”,  assim disse explicitamente

Por sua vez tivemos conhecimento claro e preciso que exatamente em fevereiro deste ano “ o órgão sueco havia afirmado que perdeu a confiança na Vale e recomendou a exclusão da empresa dos fundos AP1, AP2, AP3 e AP4. À época”.

Temos por certo que por sua vez este mesmo comunicado, foi extremamente claro  em relatar que por sua vez a mineradora não parecia ter empregado medidas suficientes no gerenciamento de barragens após Mariana, visto o ocorrido posteriormente em Brumadinho, deixando claro que ao entender destes Fundo Investidores, não estão de forma alguma satisfeito como esta administração

Todos sabem e não e segredo para ninguém, pois a verdade se divulgo em todo o mundo que por sua vez z a Empresa Vale, mantem claramente pelo menos desde maio deste ano de 2019 em alerta permanente os moradores da cidade Barão de Cocais Minas Gerais no sentido de que  a possibilidade de rompimento do talude da mina de Gongo Soco, sem entretanto formalizar uma informação mais concreta..

A incerteza e total, pois segundo a previsão era de que o talude se rompesse entre 19 e 25 que seria atingido entre os dias de maio, todavia  isso ainda não ocorreu. Possua vez nesta sexta-feira (7), Mineradora Vale informou que identificou por meio de sua equipe técnica que movimentação de fragmento do talude norte da cava da mina, realmente ocorreu mais de forma branda, mas que o desprendimento deve ocorrer sem maiores consequências, diversamente do que acreditavam que iria ocorrer, com reflexos bem ais catastróficos.

 

Por concluir neste momento temos que informar que é do conhecimento segundo relatos econômicos que entre o período concreto de “Entre 2016 e 2019, os investimentos em gestão de barragens totalizarão R$ 786 milhões (aproximadamente US$ 220 milhões), aplicados em iniciativas relacionadas a manutenção e segurança de barragens”, por conseguinte o texto e bastante claro no sentido quando relata sobre este assinto, publicado por sua vez exatamente ontem nos da noticia claramente que “Entre as iniciativas, que por sua vez a Vale cita obras de melhorias, auditorias, análises de risco, implementação de sistemas de alerta, radares, entre outros, apesar de assim informar, as evidencias, por serem muito técnicas , pouco aparece a população de forma geral, que na verdade deveria existir muito mais clareza..

Ocorre que tivemos informação exatamente nesta sexta-feira que a empresa  Vale reiterou mais uma vez a provisão de US$ 1,855 bilhão destinada ao processo de desativação das barragens a montante, que utilizam a mesma tecnologia da barragem de Brumadinho de Minas Gerais, esperamos que diante desta realidade tal investimento sirva meio cabal para que venha obter resultados positivo, pois na verdade e o que mais se espera, como também a população em geral que vive este conflito sem precedentes.

Divulgação da Noticia – Site Gazetaminas.com – Da Redação de Imprensa – Foto Reprodução Imagem da Internet