Mais uma imigrante trans morre sob custódia do ICE

Uma mulher transgênera, soropositiva, que buscava asilo morreu depois de um período sob a custódia do Departamento de Imigração e Fiscalização Alfandegária (ICE, sigla em inglês). O caso deixou os defensores enfuirecidos e leventou mais dúvidas sobre o tratamento dado pelo governo dos Estados Unidos às pessoas marginalizadas em centro de detenções.

Johana “Joa” Medina, uma mulher de 25 anos de El Salvador, faleceu no dia 1º de junho.

Medina ainda estava sob custódia do ICE quando foi hospitalizada em 28 de maio, depois de sofrer dores no peito. A agência de imigração a liberou-a, sob liberdade condicional, mais tarde no mesmo dia. Ela morreu antes de sair do hospital.

Medina apresentou-se pela primeira vez ao ICE em 11 de abril e foi transferida para a custódia da agência em 14 de abril, de acordo com um porta-voz. Em 18 de maio, ela passou por uma entrevista de “medo crível” e, quatro dias depois, recebeu um aviso para comparecer perante um juiz de imigração.

Em 28 de maio, ela foi transferida para o Del Sol Medical Center, em El Paso, no Texas, com dores no peito. A imigrante pediu um teste de HIV no mesmo dia e deu positivo.

O ICE não forneceu mais detalhes sobre o tratamento de Medina nos próximos dias ou sobre a deterioração de sua saúde. Em vez disso, um porta-voz divulgou uma declaração parecida com os posicionamentos de Trump sobre a fronteira sul e tentou afastar a agência de qualquer responsabilidade pela morte da imigrante.

“Este é mais um exemplo infeliz de um imigrante que entra nos Estados Unidos com uma condição médica não tratada e não monitorada”, disse Corey A. Price, diretora do Enforcement and Removal Operations em El Paso, em um comunicado. “Há uma crise em nossa fronteira sul com um influxo maciço de imigrantes atraídos pelas mentiras dos contrabandistas humanos que lucram sem levar em conta a vida ou o bem-estar humano. Muitos desses imigrantes tentam entrar nos Estados Unidos com doenças não tratadas ou desconhecidas, que não são diagnosticadas até serem examinadas durante a detenção”.

Apesar da declaração de Price, não há indicação de que Medina tenha sido “atraída pelas mentiras dos contrabandistas humanos”. O ICE não respondeu a perguntas sobre o motivo pelo qual ela buscava asilo. Muitas mulheres transexuais que procuram asilo nos Estados Unidos estão fugindo da homofobia sofrida em seus países de origem.

Divulgação da Noticia –  Fonte: Site Braziliantimes,com – Da Redação do Jornal – Foto Reprodução Imagem Internet – Mensagem – Medina fez teste de HIV e deu positivo