Grupos pressionam xerife anti-imigrante a renunciar em Massachusetts

Uma coalizão formada por 11 grupos progressistas, incluindo a National Association for the Advancement of Colored People (NAACP) e várias organizações importantes que defendem os direitos dos imigrantes instaram o xerife do Condado de Bristol, Thomas Hodgson, a renunciar.

Os grupos divulgaram um comunicado à imprensa nesta terça-feira (12), um dia depois que o xerife, considerado anti-imigrante, anunciou que nove detentos do Centro de Correção do condado testaram positivo para o coronavírus. Eles chamaram a atenção para uma ordem emitida em 7 de maio pelo juiz William Young, que determinou que Hodgson teste todos os presos no centro controlado pelo escritório.

De acordo com o comunicado, “o juiz do Tribunal Distrital, William Young, emitiu a decisão, que deixou todos animados, acusando o xerife Hodgson de “indiferença deliberada” em relação às pessoas sob sua custódia e violando a 8ª Emenda da Constituição dos Estados Unidos que proíbe o uso de punições “cruéis e incomuns”.

“Esta decisão, junto com pedidos de investigações de uma delegação do Congresso e do Senado do Estado, sobre o recente confronto violento entre o xerife, seus agentes e imigrantes indefesos nas instalações centro em Dartmouth, demonstram que Hodgson está claramente inapto para gerenciar o local. É claro que ele violou a lei e colocou em risco a vida daqueles que estavam sob seus cuidados”, afirmou o comunicado.

O grupo pede para que o xerife renuncie imediatamente para permitir que as autoridades implementem medidas legais para garantir o atendimento seguro e eficiente aos detidos.

Os grupos que pedem a renúncia são Bristol County for Correctional Justice, Unidad Latina en Accion, Coalition for Social Justice, New Bedford Chapter of the NAACP, Community Economic Development Center, New Bedford Immigrant Support Network, Business Innovation Center, Centro Communitario de Trabajadores, Episcopal City Mission, Marching Forward, e o Southeastern Mass Labor Council.

James Horsby, Reitor Emérito da Igreja Episcopal também assinou.

O comunicado à imprensa afirmava: “As reclamações sobre os maus-tratos de Hodgson não vêm apenas das instalações em Dartmouth, mas também das instalações da Ash Street Jail, em New Bedford, também no Condado de Bristol.

“Há duas semanas, 47 pessoas mantidas na prisão Ash Street assinaram uma petição revelando tratamento severo e condições abaixo do padrão naquela instalação. Elas afirmaram que, de acordo com as descobertas do juiz no centro de detenção, o xerife forneceu proteções insuficientes para inibir a propagação do vírus COVID-19.

Quaisquer mudanças que ele fez foram feitas lenta e de má vontade. Muitas dessas mudanças não estão sendo levadas a sério, como não impor o uso de máscaras faciais pelo pessoal ou não fornecer quantidades adequadas de sabão.

“Esta comunidade está ciente dos maus-tratos sofridos pelas pessoas sob custódia do xerife Hodgson”, disse Linda Haskins, do Bristol County for Correctional Justice. Ela se referiu a relatos do xerife cobrando demais por telefonemas, reduzindo a ingestão calórica de refeições e um período em que Bristol apresentava a maior taxa de suicídio no estado.

Divulgaçao da Noticia – Site BrazilianTimes.com – Fonte Redação Brazilian Times – Foto Reproduçao Imagem Internet