Francisco: sistemas alimentares resilientes para quem é vítima da fome

O Papa escreve por ocasião da 42ª sessão da Conferência da FAO, agendada de hoje até sexta-feira em Roma: a reconstrução das economias pós-pandemia oferece uma oportunidade de inverter a rota e ajudar os mais afetados pelas crises e condições meteorológicas extremas.

O paradoxo que Francisco usa como exemplo não é novo, mas não é menos lacerante: três quartos dos que têm pouco para comer são pessoas que produzem alimentos para o resto do mundo, os agricultores que vivem em contextos rurais pobres. O Papa fala sobre isso na mensagem enviada ao ministro polonês do Clima e Ambiente, Michał Kurtyka, nesta segunda-feira (14/06), que preside os trabalhos da 42ª sessão da Conferência do Fundo das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), programada em modo virtual até 18 de junho.