Francisco na Audiência Geral: o Espírito Santo é o protagonista da evangelização

Por fim, o etíope reconhece Cristo, pede o Batismo e professa a fé no Senhor Jesus. “Mas quem impeliu Filipe a ir ao deserto para encontrar esse homem? Quem impulsionou Filipe a se aproximar do seu carro? O Espírito Santo”, disse o Papa.

O Papa Francisco prosseguiu o ciclo de catequeses sobre o Livro dos Atos dos Apóstolos, na Audiência Geral desta quarta-feira (02/10), que teve como tema “«Anunciou Jesus ao eunuco». Filipe e a “corrida” do Evangelho em novos caminhos”.

Depois do martírio de Estêvão, a “corrida” da Palavra de Deus parece cessar, pois «desencadeou-se uma grande perseguição contra a Igreja de Jerusalém». Os Apóstolos permanecem em Jerusalém e muitos cristãos vão para outros lugares da Judeia e da Samaria.

“No Livro dos Atos dos Apóstolos, a perseguição aparece como um estado permanente da vida dos discípulos, de acordo com o que disse Jesus: «Se perseguiram a mim, vão perseguir vocês também». Mas a perseguição, ao invés de apagar o fogo da evangelização o alimente ainda mais. O diácono Filipe começa a evangelizar as cidades da Samaria e vários são os sinais de libertação e cura que acompanham o anúncio da Palavra. Nesse ponto, o Espírito Santo marca uma nova etapa da viagem do Evangelho: impele Filipe a ir ao encontro de um estrangeiro do coração aberto a Deus.”

“Filipe se levante e parte com ímpeto e numa estrada deserta e perigosa encontra um alto funcionário da rainha da Etiópia, administrador geral do tesouro dela”, sublinhou o Papa em sua catequese. Esse homem, um eunuco, depois de passar por Jerusalém para o culto, está retornando ao seu país. Era um judeu prosélito da Etiópia. Sentado em seu carro, lê o quarto canto do “servo do Senhor” do Livro do Profeta Isaías. Filipe se aproxima dele e lhe pergunta: «Você entende o que está lendo?». O etíope responde: «Como posso entender, se ninguém me explica?» Aquele homem poderoso reconhece que precisa ser ajudado para entender a Palavra de Deus. Era o grande banqueiro, era o ministro da economia, tinha todo o poder do dinheiro, mas sabia que sem explicação ele não conseguia entender, era humilde.

Segundo Francisco, o diálogo entre Filipe e o etíope leva a refletir sobre o fato de que não é suficiente ler a Escritura, mas é preciso entender o seu sentido, encontrar a “essência”, indo além da “superfície”.

A seguir, o Pontífice recordou as palavras do Papa Bento XVI no início do Sínodo sobre “a Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja” : a exegese, a verdadeira leitura da Sagrada Escritura, não é somente um fenômeno literário (…). É o movimento da minha existência. Entrar na Palavra de Deus é estar dispostos a sair dos próprios limites para encontrar Deus e conformar-se a Cristo que é a Palavra viva do Pai”.

Quem é protagonista da passagem da Escritura que o etíope estava lendo?

Filipe dá ao seu interlocutor a chave de leitura: é aquele servo sofredor manso, que não reage ao mal com o mal. Mesmo que seja considerado um fracassado e estéril, e depois é eliminado, liberta o povo da iniquidade e dá fruto para Deus. “É o Cristo a quem Filipe e toda a Igreja anunciam, que com a Páscoa nos redimiu”, destacou Francisco.

Por fim, o etíope reconhece Cristo, pede o Batismo e professa a fé no Senhor Jesus. “Mas quem impeliu Filipe a ir ao deserto para encontrar esse homem? Quem impulsionou Filipe a se aproximar do seu carro? O Espírito Santo. O Espírito Santo é o protagonista da evangelização”, respondeu o Papa.

A seguir, o Francisco disse: “Padre, vou evangelizar. Anuncio o Evangelho e digo quem é Jesus. Procuro convencer as pessoas que Jesus é Deus”. “Isso não é evangelização. Se não há o Espírito Santo não há evangelização. Isso pode ser proselitismo, publicidade. Evangelizar significa confiar-se ao Espírito Santo que é quem leva você a anunciar, a anunciar com testemunho, com o martírio e a palavra”, disse o Pontífice.

Depois que o etíope encontra Jesus ressuscitado, Filipe desaparece e o Espírito Santo o envia pregar o Evangelho em outro lugar.

“Disse que o protagonista da evangelização é o Espírito Santo. Qual é o sinal de que você cristã, você cristão é um evangelizador? A alegria, até mesmo no martírio”, ressaltou o Papa.

Francisco concluiu sua catequese, pedindo ao Espírito Santo para fazer dos “batizados homens e mulheres que anunciam o Evangelho a fim de  atrair os outros não a sim, mas para Cristo, que saibam dar espaço à ação de Deus, que saibam tornar os outros livres e responsáveis diante do Senhor”.