Força-tarefa de combate a milícias realiza mais uma ação no Rio

Objetivo é interromper ações ilegais de facção que age na zona oeste

A força-tarefa criada recentemente pela Polícia Civil do Rio de Janeiro para combater o poder das milícias que atuam no estado está realizando nesta sexta-feira (16) mais uma ação contra o braço financeiro de um dos grupos que agem na Baixada Fluminense. A ação é em Nova Iguaçu e tem como finalidade asfixiar as fontes de renda e interromper serviços e atividades comerciais e ilegais, que geram grande lucro para a organização criminosa.

Até o momento, 17 pessoas foram presas. Nesta semana, em dois dias, 17 milicianos morreram em confronto com as forças de segurança do estado.

A operação tem como alvo a facção chefiada por Wellington da Silva Braga, que age na zona oeste do Rio e está expandindo seu território para a Baixada Fluminense. Estão em campo equipes de várias delegacias especializadas, que atuam em suas atribuições para combater os crimes cometidos pela milícia na região.

Uma farmácia que lavava dinheiro da milícia e vendia remédios controlados sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)  e anabolizantes foi interditada, além de uma central clandestina de internet. Comerciantes que vendem produtos piratas tiveram mercadorias apreendidas e o transporte alternativo, fonte de renda dos milicianos, também é investigado. A força-tarefa apura ainda casos de cobrança irregular de taxas de segurança e de moradia, instalações de centrais clandestinas de TV a cabo, armazenamento e comércio irregular de botijões de gás e água, parcelamento de solo urbano, exploração e construções irregulares e outros crimes ambientais.

Outra ação

É a segunda ação da força-tarefa nesta semana em Nova Iguaçu. Na quarta-feira (14), cinco integrantes da milícia acabaram mortos e um integrante do grupo tático da milícia local, responsável por ações diretas de combate, foi preso. Na ocasião, os policiais apreenderam cinco pistolas, munição, carregadores, fardas, coletes balísticos, equipamentos de comunicação, vergalhões para furar pneus e três carros.

A operação foi realizada por  agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) para checar informações da Subsecretaria de Inteligência sobre a reunião de milicianos. Segundo a Polícia Civil, os agentes  foram recebidos a tiros assim que chegaram ao local. No confronto, cinco homens morreram.

Na noite de ontem (15), 12  milicianos que passavam em um  comboio de quatro carros às margens da Rodovia Rio-Santos, em Itaguaí, região metropolitana do Rio, entraram em confronto com homens da Core e equipes da Polícia Rodoviária Federal. Os milicianos vinham sendo monitorados pela força-tarefa criada recentemente para combater as milícias no estado. Ao serem abordados, os milicianos entraram em confronto e acabaram mortos. Um policial civil foi baleado na ação, mas o colete que  usava amorteceu o impacto do tiro. O agente está fora de perigo.

Divulgaçao da Noticia – Site AgenciaBrasil.EBC.com.br – Edição: Nádia Franco –  Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro – Foto Reproduçao Imagem Internet