Corpo de Bombeiros Mineiro promove inovações em Operação de Carnaval

Ações, que vão até a Quarta-feira de Cinzas, vão atender os foliões nos blocos, garantindo a diminuição do tempo de resposta às situações de urgência e emergência

Neste ano, aproximadamente 1.500 bombeiros do CBMMG estarão presentes nas ruas de todo o estado atuando nas folias carnavalescas. Uma grande inovação será o uso de duas carretas para atendimento in loco em Belo Horizonte, cidade mineira que receberá o maior número de foliões. Um dos veículos será uma carreta de Posto de Comando, que conta com todo o aparto tecnológico necessário para o monitoramento dos blocos e gerenciamento da operação. Um médico regulador do Samu-BH também estará presente no caminhão.

O outro será uma carreta de Posto Médico Avançado (PMA), gerenciada e estruturada em parceria com o Samu, composta por equipamentos similares a uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) móvel. Será a primeira operação integrada do CBMMG e Samu-BH. Uma terceira carreta PMA, fornecida pela Belotur – PBH, também será alocada para atendimento médico aos foliões e contará com a participação de bombeiros militares.

O conceito dos PMAs visa diminuir o tempo de resposta para atendimentos emergenciais e servir como base para bombeiros militares que, nesta situação, podem operar com efetividade de deslocamento, em casos de pânico, incêndio e salvamento que se fizerem necessários.

Além das carretas, somente na capital, um efetivo de aproximadamente 1.000 bombeiros militares e 72 viaturas estarão presentes nos maiores bolsões de foliões, como a Praça da Estação, Praça Tiradentes, Avenida Getúlio Vargas, Praça Raul Soares e Avenida Afonso Pena.

Para os blocos carnavalescos com maior previsão de público que estiverem fora dos bolsões na capital, o CBMMG, em parceria com o Samu-BH, irá manter comboios, compostos por unidades de salvamento e ambulâncias, para atendimento no local.

Outra novidade do Corpo de Bombeiros para o Carnaval de 2019 será o monitoramento e aferição de público por meio de drones e helicópteros do Batalhão de Operações Aéreas (BOA).

Divulgação  CBMG – Agencia Minas