Brasileira diz que foi vítima de violência doméstica em NJ

Natural do Rio de Janeiro, Ana Amorim tem 26 anos de idade e se mudou para os Estados Unidos com o Visto K1 (Visto para Noivas). Ela tinha 90 dias para casar e foi o que aconteceu. De acordo com uma publicação feita por ela no site do GoFundMe, “ela se casou com um cidadão norte-americano, com o qual manteve um relacionamento à distância por três anos”.

O agora o marido aplicou para o ajuste de status de imigração de Ana, para que ela obtivesse o Green Card. Ela recebeu a autorização de trabalho e de viagem. Mas com o passar do tempo, o relacionamento foi se deteriorando e ela afirma que foi vítima de violência doméstica, sofreu ameaças de ser entregue para a imigração, violência física e psicológica. “A última agressão me fez passar seis dias internada em uma clínica psiquiátrica, além de duas idas a um hospital por ataques de ansiedade”, afirmou.

Ana, que mora na cidade de Fairview (New Jersey) disse que agora busca por proteção legal e afirma que já procurou o departamento de polícia e não conseguiu uma ordem protetiva contra ele. “Demorei cerca de duas semanas para encontrar um abrigo devido à pandemia, mas graças a Deus consegui e desta forma pude me livrar do meu marido abusivo no dia 14 de agosto”, explica.

Após estes problemas, ele cancelou o ajuste de status dela, e isso automaticamente cancelou minha permissão de trabalho e de viagem. “Agora eu não posso mais trabalhar legalmente nos Estados Unidos e não tenho família neste país, pois toda a minha família está no Brasil e eu apenas falo português e espanhol”, disse.

Diante deste problema, Ana iniciou uma campanha para conseguir dinheiro para reajustar o seu status novamente, cujo valor é de US $1225 dólares. “Eu estou aplicando com a condição de ter sido abusada por um cidadão norte-americano. A petição para o I360 é de graça, mas o I-485 que trata do ajuste de status é pago e após o dia 02 de outubro a taxa vai subir”, explicou.

Ana pediu apoio da comunidade, pois recebeu uma carta do Departamento de Serviços de Imigração e Cidadania dos EUA (USCIS, sigla em inglês) dando-lhe 33 dias para deixar o país. “Por isso eu preciso mandar a minha petição o mais rápido possível”, disse.

Para conseguir o dinheiro para custear as taxas, despesas de com transporte, comida, cópias, entre outras, ela abriu uma conta no site GoFundMe e quem quiser ajudar pode acessar o link https://bit.ly/2GIGZ4f e fazer uma doação de qualquer valor.

O objetivo é conseguir US $2 mil e até a tarde desta terça-feira, dia 08, havia sido doado apena US $105.

Divulgaçao da Noticia – Site BrazilianTimes.com – Fonte Redação Brazilian Times – Foto Reproduçao Imagem Internet