Bispos do Brasil para as eleições 2020: atenção ao perfil e histórico dos candidatos

Para apoiar e orientar os cristãos católicos na escolha dos candidatos em mais de 5 mil municípios brasileiros, a CNBB divulgou uma mensagem sobre as Eleições Municipais 2020. No documento datado de outubro, a entidade expressou, à luz da Doutrina Social da Igreja Católica e do magistério do Papa Francisco, a compreensão sobre a política como um conjunto de ações pelas quais se busca uma forma de convivência entre indivíduos, grupos e nações que ofereçam condições para a realização do bem comum. Os bispos apontam o dever dos prefeitos e vereadores eleitos e chamam a atenção para estudar o histórico e o perfil dos candidatos.

Neste domingo (15), 147,9 milhões de brasileiros, aptos a votar, poderão comparecer às urnas para escolher os candidatos que irão ocupar os legislativos e executivos nos 5.570 municípios brasileiros.

Mensagem da CNBB sobre as Eleições 2020

Para a ocasião, a CNBB tem atuado como embaixadora da campanha “EuVotoSemFakecampanha”, lançada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda no final de setembro. O objetivo da  iniciativa é que os candidatos sejam eleitos de maneira legítima e ética, por meio de informações verdadeiras, divulgadas em seu contexto, livres de distorções.

Já  no final de outubro, a CNBB, após reunião virtual do Conselho Permanente, divulgou uma mensagem sobre as Eleições Municipais 2020. No documento, a entidade expressou, à luz da Doutrina Social da Igreja Católica e do magistério do Papa Francisco, a compreensão sobre a política como um conjunto de ações pelas quais se busca uma forma de convivência entre indivíduos, grupos e nações que ofereçam condições para a realização do bem comum.

A CNBB entende que os cristãos, leigos e leigas, não podem “abdicar da participação na política” (Christifideles Laici, 42). “Esse protagonismo é próprio do laicato. Cabe a ele, de maneira singular, a exigência do Evangelho de construir no mundo o bem comum na perspectiva do Reino de Deus. O clero, guiado pela Doutrina Social da Igreja e atendo-se às normas da igreja quanto à sua participação na vida político-partidária, assume o que lhe é específico nas suas responsabilidades políticas quando cuida da formação, incentiva e acompanha o laicato”, diz um trecho.

Papel e perfil de prefeitos e vereadores

Em um trecho do documento, os bispos apontam o dever dos prefeitos e vereadores eleitos: “contribuir com ações  eficazes nos campos da saúde, educação, segurança, transporte, assistência social, moradia, direito à alimentação e proteção da família, entre outros. Darão bons frutos os  políticos que priorizarem o bem comum e a vida plena, desde a concepção até a morte natural, de todos dos cidadãos, sem quaisquer discriminações, nunca buscando seus próprios interesses pessoais e corporativos”.

A CNBB chama a atenção dos cristãos católicos a estarem atentos quanto ao histórico e ao perfil dos candidatos, alertando que “não pode produzir bons resultados o político que atenta contra a vida, trabalhando por políticas públicas que favoreçam o aborto, fazendo campanha eleitoral com discursos de ódio, defendendo o uso da violência, o recurso às armas e se atrelando ao tráfico de drogas e às milícias. Quem não se compromete com os excluídos e se mostra indiferente diante da morte de pessoas e das graves feridas do meio ambiente não merece o voto de quem deseja uma sociedade justa e democrática”.

A mensagem pode ser confira na íntegra, clicando aqui: Mensagem por ocasião das Eleições Municipais 2020.

ColaboraçãoCNBB

Divulgaçao da Noticia – Site VaticanNews.va – Fonto Reproduçao Imagem Internet -Reporte Vatican News