Advogados de Carlos Ghosn renunciam

EPA9602. TOKIO (JAPÓN), 19/11/2018.- Foto de archivo del presidente de Nissan Motor, Carlos Ghosn, da una rueda de prensa en Tokio (Japón) el 20 de octubre de 2016. Las autoridades niponas se disponen a arrestar al presidente de Nissan Motor, Carlos Ghosn, por supuesta evasión fiscal, según adelantó hoy, 19 de noviembre de 2018, la agencia Kyodo citando fuentes ligadas a la investigación. EFE/ Kimimasa Mayama

Somente 3 integrantes da defesa representam agora o ex-executivo

Vários advogados japoneses do ex-presidente do Conselho de Administração da Nissan Motor Carlos Ghosn renunciaram após sua fuga para o Líbano.

A informação foi dada pelo advogado Junichiro Hironaka. Fontes informaram que outros advogados, incluindo Takashi Takano, também renunciaram. Elas afirmam que Hiroshi Kawatsu e mais dois integrantes da equipe continuam a representar Ghosn.

Carlos Ghosn foi denunciado por suspeita de ter declarado valores inferiores à sua remuneração em relatórios financeiros da Nissan, e por abuso de confiança grave pela suspeita de apropriação indevida de fundos da companhia.

O ex-presidente do conselho da montadora violou sua fiança e fugiu para o Líbano no fim de dezembro, sem informar a equipe de defesa. Ghosn disse que decidiu pela fuga porque não tinha expectativas de um julgamento justo no Japão.

Uma reunião preliminar ao julgamento foi realizada para lidar com questões controversas no Tribunal Distrital de Tóquio, pela primeira vez desde que Ghosn deixou o Japão. Fontes informaram que na reunião, a portas fechadas, o tribunal decidiu realizar o julgamento de Ghosn separadamente do julgamento de seu antigo aliado, Greg Kelly, e da Nissan como pessoa jurídica.

O julgamento de Kelly e da Nissan deve começar em abril.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Esta matéria está em atualização. 

Divulgação da Noticia – Site AgenciaBrasil.EBC.com.br – RTP*  Tóquio – Foto Reproduçao Imagem Internet