Temer troca comando da Polícia Federal

Daiello estava no cargo desde 2011 e comandou a PF durante a Operação Lava Jato

O presidente Michel Temer decidiu nomear o delegado Fernando Segóvia para diretor-geral da Polícia Federal no lugar de Leandro Daiello (leia nota ao final desta reportagem).

Nesta quarta-feira (8), o presidente, Segóvia e o ministro da Justiça, Torquato Jardim (ao qual a PF é subordinada), se reuniram no Palácio do Planalto.

Fernando Segóvia tem 22 anos de carreira na Polícia Federal e pertenceu a um grupamento de elite da corporação, o Comando de Operações Táticas (COT). Foi superintendente da PF no Maranhão, adido policial na África do Sul e coordenador, pela PF, da Campanha do Desarmamento

Em entrevista à jornalista Natuza Nery, comentarista da GloboNews, Segóvia afirmou que dará “continuidade ao belíssimo trabalho de Leandro Daiello à frente da Polícia Federal”. Ele também prometeu “ampliar” as atividades da Operação Lava Jato e disse que quer ampliar a parceria com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Leandro Daiello está no cargo desde 2011, quando assumiu o posto a convite do então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, no governo Dilma Rousseff. Depois de Cardozo, passaram pelo Ministério da Justiça Eugênio Aragão, Alexandre de Moraes e Osmar Serraglio, além do atual, Torquato Jardim – todos mantiveram Daiello no posto.

Daiello é o segundo diretor-geral que mais tempo permaneceu no cargo (seis anos e dez meses, entre 2011 e 2017) – só ficou menos que Moacyr Coelho (11 anos, entre 1974 e 1985). Ele esteve à frente da PF durante a Operação Lava Jato.

De acordo com a colunista do G1 Andréia Sadi, o ex-presidente da República José Sarney fez lobby junto a Temer pelo nome de Segóvia.
Segundo a colunista, Sarney conversou com o presidente sobre o assunto no final de semana do dia 17 de setembro, quando foi recebido no Palácio do Jaburu.

Idas e vindas
Em junho, menos de um mês após assumir o Ministério da Justiça, Torquato Jardim se envolveu em em polêmica após não bancar a permanência de Daiello no comando da PF.

Em 24 de junho, após afirmar ao Blog da Andréia Sadi que Daiello permaneceria no cargo, o ministro convocou uma entrevista coletiva em Brasília na qual anunciaria a permanência do então diretor-geral.

Na entrevista, porém, o ministro não fez nenhuma afirmação assegurando que o delegado permaneceria no cargo. Jardim não respondeu a perguntas e se levantou após um breve pronunciamento.

Horas depois, a assessoria do Ministério da Justiça divulgou uma nota confirmando a permanência de Daiello.

Nota oficial
Leia abaixo nota oficial do Ministério da Justiça sobre a nomeação de Segóvia.

NOTA OFICIAL

O Ministério da Justiça comunica que o senhor Presidente da República escolheu nomear o Delegado Fernando Segóvia como novo diretor-geral do Departamento de Polícia Federal.

Nesta mesma oportunidade, o ministro da Justiça expressa ao Delegado Leandro Daiello seu agradecimento pessoal e institucional pela competente e admirável administração da Polícia Federal nos últimos seis anos e dez meses.

O Delegado Fernando Segóvia é advogado formado pela Universidade de Brasília, com experiência de 22 anos na carreira. Foi superintendente regional da PF no Maranhão e adido policial na República da África do Sul, tendo exercido parcela importante de sua carreira em diferentes funções de inteligência nas fronteiras do Brasil.

Fonte: Globo

COMPARTILHAR