Temer desembarca nesta quinta-feira em Porto Velho para cerimônia de inauguração do Hospital do Câncer e assinar ordem de serviço para aeroporto da Capital

 

A presidência da República confirmou a agenda do presidente Michel Temer (PMDB), nesta quinta-feira, para a solenidade de inauguração do Hospital do Câncer da Amazônia, em Porto Velho.

A assessoria de imprensa da Presidência ainda não confirmou a equipe ministerial que vai acompanhar o peemedebista.

Temer deve desembarcar por volta das às 8 horas na Base Aérea de Porto Velho e de lá seguirá para o Hospital de Câncer da Amazônia, na BR-364, sentido Candeias do Jamari.

 projeto de construção do Hospital de Câncer da Amazônia nasceu da ideia de ampliar o serviço que a filial de Barretos oferece à população rondoniense. “Usamos hoje uma estrutura dentro do Hospital do Estado. Não faz sentido empregarmos mais recursos próprios em um local que não é nosso”, afirma o diretor geral do Hospital de Câncer Henrique Prata.

Hoje, parte da população da Região Norte ainda viaja até Barretos para receber o tratamento. Com o novo Hospital, todos esses pacientes vão ficar em Porto Velho.

O terreno tem cerca de 70 mil metros quadrados. Na primeira etapa do projeto serão 15 mil metros quadrados de área construída e dois mil metros quadrados reservados especificamente para indígenas. “Nesse espaço, eles poderão continuar com seus hábitos, cultura e alimentação”, comenta Henrique Prata. Esta primeira fase do projeto tem custo estimado de R$ 45 milhões a obra e mais R$ 30 milhões em equipamentos.

A nova unidade vai contar com quimioterapia, radioterapia, pesquisa, banco de tumores, emergência, radiologia com duas salas de raios-X, três aparelhos de ultrassom, uma ressonância magnética, um mamógrafo e um para tomografia. Além disso, o Hospital de Câncer da Amazônia terá também laboratório de análises clínicas com seis salas de coleta e duas salas de exames, ambulatório com 20 consultórios, centro cirúrgico com quatro salas cirúrgicas, internação geral com 24 leitos, pediátrica com 16 leitos, indígena com 20 leitos e unidade de terapia intensiva (UTI) com oito leitos.

A expectativa é de que em dois anos o projeto seja uma realidade e mais pacientes de toda a região sejam beneficiados graças à solidariedade do povo de Rondônia e de todo o Brasil.

Dados Atuais do Hospital de Câncer – Porto Velho 
Atualmente, a instituição possui 4.500 pacientes cadastrados, vindos principalmente de Rondônia, Amazonas, Acre, Minas Gerais, Amapá, Mato Grosso e Povos Indígenas. São 140 funcionários cuidando de cada detalhe para conseguir cumprir a meta de 300 atendimentos ao dia, sob cuidados de uma equipe médica composta por 24 médicos.

 Presidente assina Ordem de Serviço, às 12h, no aeroporto Jorge Texeira, na capital

O Aeroporto Internacional de Porto Velho/Governador Jorge Teixeira de Oliveira receberá o sistema Elo, conjunto de conectores climatizados que ligam as aeronaves às salas de embarque e desembarque, garantindo a chegada ou partida de passageiros com conforto, segurança e acessibilidade. A ordem de serviço para instalação dos equipamentos será emitida nesta quinta-feira (23) pela Infraero com a presença do presidente da República, Michel Temer. A solenidade será ao meio-dia, no terminal de passageiros.

Ao todo, R$ 6,1 milhões serão investidos na melhoria, composta por dois conectores com elevador e escada que ligarão as salas de embarque e desembarque às aeronaves. A instalação e adequações começarão no dia 1º/12 e deverão ser finalizadas em 180 dias, conforme previsto em contrato.

A tecnologia é adequada a todas as aeronaves comerciais regulares comumente utilizadas pelas companhias aéreas brasileiras. A solução é totalmente nacional e recebeu em 2013 o Prêmio de Inovação TranspoQuip em reconhecimento à elaboração do Sistema Elo, desenvolvido pela Infraero em parceria com a Ortobras, e tendo como diferencial a versatilidade, uma vez que a estrutura pode ser adaptada às diferentes realidades dos aeroportos administrados pela empresa.

A principal característica do Elo é que ele não segrega os passageiros e seu funcionamento se assemelha às pontes de embarque convencionais. “Dessa forma, o viajante com deficiência ou dificuldade de locomoção embarca ou desembarca de forma igualitária”, afirma o diretor de Gestão Operacional e Navegação Aérea, João Márcio Jordão.

Outro destaque do sistema que será instalado no Aeroporto Internacional de Porto Velho é a sua origem. Por ser totalmente produzido no Brasil, a reposição de peças é mais fácil, além de ter custo de custo de manutenção baixo. “A implantação do Elo é mais barata que a de uma ponte de embarque porque a adaptação do aeroporto é simplificada. Além disso, a estrutura utilizada em um terminal pode ser aproveitada em outro aeroporto”, explica Jordão.

Aeroportos com Elo

O Sistema Elo já foi instalado pela Infraero nos aeroportos de Palmas, Porto Alegre, Joinville e Londrina. Ao todo, a empresa já investiu R$ 25,6 milhões nessas estruturas, que ampliaram a acessibilidade e o nível de conforto destes terminais. Pelo planejamento da empresa, os aeroportos de Navegantes, Rio Branco, Teresina, João Pessoa e Campina Grande também receberão o sistema, com outros R$ 42,2 milhões a serem investidos nestas localidades.

Fonte: Assessoria

COMPARTILHAR