Cassol defende em audiência pública a cadeia produtiva do leite e derivados

O senador Ivo Cassol presidiu nesta terça-feira, (7) uma audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado para discutir a política brasileira de importação de produtos lácteos. Cassol alega que no último ano a importação excessiva de leite, queijos e derivados tem trazido enormes prejuízos aos produtores brasileiros.

Segundo dados do Ministério da Indústria e Comércio em 2016, as importações de lácteos foram 78% maiores do que em 2015. Só a importação do leite em pó cresceu mais de 100%. Enquanto isso, a produção brasileira encolheu. No ano passado, o país produziu cerca de 918 milhões de litros de leite a menos, do que em 2015. Os números são do IBGE. Cerca de 700 mil produtores brasileiros já abandonaram o setor que deixou de ser lucrativo devido à concorrência com o leite estrangeiro.

Para assegurar as mínimas condições do pequeno produtor leiteiro, o senador Ivo Cassol defendeu que o governo crie um mecanismo de complementação para a importação do leite. A ideia, de acordo com o parlamentar, é criar uma forma de proteção, uma sobretaxa em relação ao leite estrangeiro. “ É importante ter uma proteção tarifária, aumentar o tributo em relação ao lácteo importado. Hoje o preço do leite está em 80 centavos no estado de Rondônia, isso não paga sequer os custos do produtor. Estamos destroçando a cadeia produtiva no Brasil. É preciso ter a segurança de um preço médio do litro do leite no país”, defendeu Cassol.

Durante a audiência pública, alguns senadores alertaram que o Uruguai já vem limitando a entrada de frango brasileiro. “ Se eles fizeram isso com o frango lá, porque não podemos fazer com o leite uruguaio aqui?”, questionou o senador Ivo Cassol.

Fonte: Assessoria

COMPARTILHAR