Campos do Jordão, SP, guarda encantos além do badalado Capivari

Arquitetura europeia e clima predominantemente frio são atrações.
Cidade é um dos principais destinos de inverno dos paulistas.

Campos do Jordão guarda encantos além do badalado Capivari (Foto: Camilla Motta/G1)Campos do Jordão guarda encantos além do badalado Capivari (Foto: Camilla Motta/G1)

Além do Capivari, região mais badalada de Campos do Jordão (SP), a cidade na Serra da Mantiqueira guarda atrativos turísticos entre suas montanhas e araucárias. Construções imponentes, como um palácio e um castelo, e um jardim inspirado nos europeus, estão entre as atrações que, junto com o frio, tornam Campos do Jordão um destino único.

O G1 esteve em alguns destes locais e além de dicas de passeio, traz fotos e curiosidades sobre eles. Confira:

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)Palácio da Boa Vista é a residência oficial do governador no inverno (Foto: Camilla Motta/G1)

Palácio. Em 1964, o Brasil recebeu o presidente da França Charles De Gaulle para uma visita de negócios. Com seus mais de 2 metros de altura o problema foi encontrar uma cama que não o deixasse com parte das pernas para fora. A solução foi aumentar a estrutura de uma que hoje está exposta no Palácio da Boa Vista, em Campos do Jordão, com outras centenas de peças históricas.

A cidade, na Serra da Mantiqueira, reserva para os turistas locais com histórias que parecem tiradas de livros, como esta da cama gigante. Finalizado em 1964 e aberto ao público para a visitação em 1970, o Palácio da Boa Vista é apenas um dos pontos ‘mágicos’ que a cidade oferece. A entrada e visitação no palácio são gratuitas.

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)Cama adaptada para receber o então presidente
Charles De Gaulle (Foto: Camilla Motta/G1)

Os passeios no Palácio são para, no máximo, 25 pessoas e duram cerca de  40 minutos. Com móveis do século 17 bem preservados e pinturas de artistas renomados como Di Cavalcanti e Tarsila do Amaral o passeio impressionou o turista Walter Sayão Filho, de São Paulo. “Lá na capital muita coisa está deteriorada e a preservação aqui é incrível. Toda a história é interessante quando é bem cuidada”, afirmou.

A esposa dele, Niomar Sayão, mal terminou a visita e já estava programando outra: “Preciso voltar com o meu filho. Vou trazê-lo com certeza, ele é artista e vai adorar”, disse.

O Palácio da Boa Vista tem mais de 100 cômodos, mas o visitante não acesso a tudo, já que ainda hoje é a residência oficial do governador quando ele sobe a serra. Durante a temporada do ano passado o Palácio recebeu mais de 94mil visitantes, 10% a mais que em 2014.

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)Castelo foi um presente de um chinês à esposa na década de 70. Hoje abriga um hotel. (Foto: Camilla Motta/G1)

Castelo. As histórias encantadas continuam escondidas entre as montanhas de Campos do Jordão. A cidade tem ainda castelo que parece tirado de um livro medieval. Hoje o local é um hotel e restaurante, mas quando foi construído, na década de 70, foi um ‘mimo’ do proprietário chinês para a sua esposa.

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)Adega é  em um calabouço (Foto :Camilla Motta/G1)

“Não consegui contar até hoje quantos ambientes esse lugar tem”, diz a locatária da adega, Sabrina Florêncio. “Cada dia a gente descobre uma história nova, um móvel de origem diferente e 80% da mobília é importada. Estamos trabalhando em conjunto com uma equipe de historiadores para tentar catalogar tudo isso”, disse.

O chinês que construiu o castelo hoje mora fora do Brasil e arrendou o local, mas o gosto excêntrico é facilmente identificável em todos os cantos. O calabouço, onde hoje é a adega e restaurante, é aberto para o jantar todas as noites. Com atendimento a caráter e música ambiente a sugestão é de nunca ir embora sem experimentar uma taça do hidromel artesanal, uma bebida tipicamente viking, feita na região.

Além de sala de chá com decoração indiana, boate egípcia e salões com armaduras originais europeias, o castelo possui 18 quartos –todos únicos- para receber hóspedes, sala de cinema com 18 lugares, um bar rodeado de animais reais empalhados, túneis iluminados com tochas e um mezanino que imita a parte interna de um navio. Desde fevereiro desse ano o local está aberto a visitação de sexta a domingo e aos feriados sempre às 15h, com entradas a R$15.

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)Floresta Encantada tem inspiração nos contos de fadas (Foto: Camilla Motta/G1)

Floresta Encantada.  As histórias de princesas, bruxas e fadas também têm espaço para as crianças no parque Floresta Encantada. O local surgiu há 35 anos, quando a proprietária mandou construir uma casinha da Branca de Neve com tudo em miniatura para a família brincar.  A ideia fez sucesso e hoje o parque possui outras seis casas baseadas em personagens de histórias infantis.

A Leticia, de três anos, pulou de uma casinha para a outra e não conseguiu decidir onde morar. Mas a corajosa mesmo foi a Livia, de quatro anos.”Quero morar na casa dos fantasmas”, disse decidida.

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)‘Casa dos fantasmas’ atrai os corajosos (Foto:
Camilla Motta/G1)

Durante a temporada o local recebe uma média diária de 150 pessoas, tem área de piquenique e personagens vestidos a caráter para estimular o imaginário das crianças e também dos adultos.

A Luciana Ladeira e o marido Marcio Dutra, relembraram a infância ao passarem por todas as casas. “Eu adorei!”, comentou ela, “É como voltar a infância”, disse. A entrada custa R$ 5 durante a semana e R$10 aos finais de semana e feriados.

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)Jardins Amantikir reúne 24 espaços inspirados em 14 nacionalidades diferentes (Foto: Camilla Motta/G1)

Jardins. Jardins bem cuidados e inspirados em 14 nacionalidades diferentes – é isso que o turista vai encontrar nos Jardins Amantikir. Com 48mil m² e 800 espécies de plantas, o passeio é um espetáculo de cores e de cultura.

Dos 24 jardins, dois inaugurados recentemente, nenhum é igual ao outro e todos possuem uma simbologia. Os turistas que quiserem aproveitar, podem sentar no local e sentir sol de inverno que bate no ‘tapete verde’, jardim inspirado nos parques ingleses, ou bater fotos em um ‘photo point’ que tem como o fundo a Mantiqueira.

Especial inverno Campos do Jordão (Foto: Camilla Motta/G1)Labirinto celta tem recortes perfeiros na grama
(Foto: Camilla Motta/G1)

“A área é super verde e a vista vale a pena. A gente tinha ouvido falar muito bem, mas o contato com a natureza é ainda melhor”, contou Lizandra Marques, médica que escapou da correria de São Paulo para curtir a tranquilidade da serra.

Com 1 km de comprimento, o labirinto celta chama a atenção pelo recorte perfeito da grama. Na antiguidade era considerado um lugar sagrado e a indicação é fazer o percurso para refletir e meditar. Já para os mais aventureiros o desafio é terminar um labirinto clássico de paredes com 2,20 de altura e 600 metros de corredores em menos de 25 minutos. Esse é o maior labirinto clássico do Brasil.

O Muhammad Ndiaye conseguiu, mas a esposa Maria de Nazaré não achou a saída fácil:  “Me perdi muito. Nem cheguei a contar o tempo, mas no final consegui. Foi o meu jardim preferido”, afirmou.

O preço para entrada nos jardins, em alta temporada, é de R$ 30.

COMPARTILHAR