Assistência Social promove capacitação das Famílias Acolhedoras

Serviço promove o acolhimento temporário de crianças e jovens de zero a 18 anos por famílias dispostas a oferecer cuidados, amor e atenção

 

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), promoveu nesta segunda-feira (11), um encontro com as famílias participantes do projeto Família Acolhedora. Na roda de conversa, foi discutida a importância do acolhimento fraterno de crianças e adolescentes e a convivência no seio familiar. Ao todo, 25 pessoas receberam a capacitação, que teve a participação dos promotores, Fábio Tavares e Lourdes Guerrero Rosa; do secretário de Assistência Social, Heldo Armond, além de conselheiros tutelares e assistentes sociais.

O projeto Família Acolhedora é um serviço que busca pessoas dispostas a zelar por crianças e jovens de zero a 18 anos, oferecendo-lhes carinho, atenção, respeito e cuidados. A guarda temporária permanece com os acolhedores por um período de seis meses a um ano e meio, enquanto a família de origem recupera a segurança e autonomia. Todo o acolhimento é acompanhado por uma equipe técnica composta por assistente social e psicólogo, que são responsáveis ainda por informar ao Poder Judiciário a respeito da situação da família de origem e do acolhido.

Podem participar do Serviço de Acolhimento pessoas da comunidade previamente cadastradas e selecionadas, habilitadas pelo programa, que ofereçam amor, carinho, cuidado, proteção, convivência familiar e comunitária.

Como funciona?

Primeiro, a família interessada em fazer parte do Serviço deve procurar a Secretaria Municipal de Assistência Social (Rua Pedro Lessa, 286, bairro de Lourdes) ou ligar para 3277.9300 (ramal 208) e agendar o atendimento com a equipe técnica.

O passo seguinte é a fase de habilitação – momento em que a família deve providenciar os documentos pessoais (RG, CPF), comprovante de residência, comprovante de rendimentos, certidão negativa de antecedentes criminais e atestado de saúde física e mental de todos os membros da família maiores de idade para fins de efetivação de cadastro.

Após a análise dos documentos, a família vai receber a visita domiciliar, seguida de entrevista, na qual serão observados os critérios de concordância de todos os membros familiares. Para finalizar a fase de habilitação, é ofertada capacitação às famílias.

por Secretaria de Comunicação e Mobilização Social